quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Apenas um pouco de vida


A boca cala
E engole seco a saliva
Que não existe
O coração se fecha e
Finge não bater forte
Os olhos desviam
E procuram por cores
Que apaguem o negro
Deitado ali no chão
Imundo, quase morto
Quase ninguém vê
A suplicar uma esmola
Um pedaço de vida...

Nenhum comentário:

Postar um comentário